quarta-feira, 29 de setembro de 2010

REFERÊNCIA MASCULINA


Vai ser muito dificil falar sobre o assunto, já que um dos personagens principais do tema de hoje é leitor assíduo do Blog... então dependendo de como ele reagirá, posso ter problemas em casa.

Mas o "danado" do assunto vem sendo proletado há meses por medo... mas hoje decidi postar.



Meu marido é publicitário. Super criativo, trabalha pra caramba - mas seu trabalho é mental.

Mesmo assim, ele chega cansado de trabalho, assim como um trabalhador braçal.

Entendo, tudo bem.


Mas ele não interaje com o neném.

Chega, dá uns abraços, uns beijos nele.... toma seu banho e deita até o jantar ficar pronto.

Nesse meio tempo, o bebê fica louco de alegria, querendo brincar...

E o papai nada.


O maximo que meu marido faz é por o nenê na cama com ele.

Mas a criança tá super agitada, não quer ficar na cama.

Ele quer brincar.


Tenho uma amiga que tem um filho de 8 anos que não sabe chutar bola - ele odeia futebol.

O pai nunca foi referencia pra ele, nunca o levou a um jogo, nunca sentou no chão nem brincou de carrinho com ele, nunca o levou simplismente pra rua, pra bater uma bolinha.

Hoje o pai não entende o porque do filho não gostar de coisas que "meninos" gostam.


Tenho muito medo do meu filho tomar o mesmo rumo.

Afinal, meu marido também não tras refencias masculinas pra casa. Referencias que agregam na vida da criança desde pequeno, tipo coisas que meninos fazem, saca?


Claro, que se meu marido chegar a ler este post, já até sei que ele vai me dizer, que: tras "o sustento para casa" .

Sim, eu sei, mas comida não é tudo na infancia de um menino.


Eu vivo cobrando ele: "desce com o nenê" - "leva o nene no parquinho" - "sai pra bater uma bola com ele"

Mas o papai está sempre cansado. Hoje já não cobro mais. Esgotei.



Dia desses minha amiga blogueira de Cuiaba, a Milka, relamou de coisas do mesmo tipo, e de como ela e as filhas precisam mendigar do tempo da marido para estar com elas.

Fiquei tão sentida com aquele relato dolorido dela...

Me coloquei em seu lugar, pois de certa forma, vivo isso também.


Meu marido é super presente em nossa vida, em nossa casa, é um homem trabalhador, honesto, fiel e temente a Deus.

Mas no quesito "REFERÊNCIA MASCULINA" ele deixa muito a desejar.


Eu não quero que ele interprete mal (mas é quase certeza que sim) só quis postar isso como um desabafo, e também pra trocar experiências com minhas amigas virtuais....


21 Comentários:

Mamãe Feliz disse...

Hum, amiga q chato! Acho q seu marido não vai gostar da comparação, mas meu marido é o oposto, muito presente de corpo e alma....ele se entrega msm ao filhote, brincam juntos, jogam bola, assistem F1 e futebol juntos, lavam o carro, fazem de td...e o detalhe meu filho é muiiiito apegado ao pai do q a mim, tenho ciumes, mais fico muito feliz em ver essa interação entre os dois...acredito q depois do post, vai rolar uma conversa entre vcs e td vai ficar bem! Bjos e ficam em paz gata!

Deni Brito disse...

Dani, eu entendo perfeitamente. Não por passar por isso, mas por ver isso acontecer dentro da minha casa. Meu afilhado mora com a minha mãe, e não com a mãe dele (minha irmã). Ou seja, quem o cria é a minha mãe. Mas os pais dele são presença constante lá em casa. No entanto, quando o pai do Miguel chega, ele fica eufórico... Quer brincar com ele, quer a atenção dele e tudo mais, mas o Cássio simplesmente entra pra dentro do quarto dos meus pais, liga a TV e o ar condicionado e se deita. O bebê chora, esperneia, mas nada do Cássio 'acordar'. É triste...
Já o Bráulio, nossa, o Bráulio é uma benção! Ele pode estar cansado, esgotado, doente, do jeito que for, mas nunca deixa o Theo 'na mão'. Por várias vezes, ele abriu mão de dormir um 'bucadinho' mais no domingo, pra ficar com o Theo enquanto eu tiro mais meia horinha de sono.
Acho que vc deve conversar com o maridão, não desista, viu?
Seu filho precisa disso...

Beijão
:***

Dany morais disse...

ai dany, nao vou dar pitaco!
li o seu post e imagino como deve ser ruim.
esse post vai trazer uma longa conversa entre voces dois.
bjos e espero que tudo se resolva.

O mundo da Dani disse...

dani essa briga é aqui tb, meu marido fica bravo quando ve o davi pegando minha bolsa, querendo passar creme no rosto, quando quer varrer e entre mais coisas....mas é o q ele ve todo dia, mas meu marido tb ta sempre cansado, mas eu pego no é dele, e ele senta no chao, joga bola o tempo todo, pois davi amaaaaaaa jogar bola.... nao basta ser pai tem q participar simmmm


bjussss e boa sorte

O mundo da Dani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
eliane maia pereira disse...

E qdo se tem meninas e o pai é super presente? Minhas filhas amam o Palmeiras, time que ele torce, sabem o nome dos pilotos da F-1 pq ele é fanático, adoram soltar pipa com ele...
Mas vou orar pra que seu esposo aceite bem o post.
Bjosss

Milka disse...

Ai Dani, eu deixei pra lá...desisti de querer ele presente, entreguei pra Deus. E sabe que de uma semana pra cá ele tem chegado mais cedo, levado agente pra passear e até tá saindo menos, acho que Deus está agindo.
Ele não é evangélico, mas de vez enquando nos acompanha na igreja.Oro todos os dias pela conversão dele.

No seu caso é mais fácil, maridão é temente a Deus e com certesa é só cansaço mesmo.Compra uns joguinhos pra ele brincar deitado mesmo com o nenê, tipo uns carrinhos ou então um lego.

Depois que ele ler vai se animar, vc vai ver.

Se anima ai Maridão,kkkkk (brincadeirinha)

beijus pra vcs Dani.

Agnes, Mãe do Pedro Henrique disse...

é amiga, isso é beem complicado mesmo!
Nem sei o que dizer!
Meu marido tem sido bem presente na vida do Pedro, leva ele para passar sozinho, sem mim, acho que não vou ter problemas com isso.
boa sorte, espero que ele lendo isso, tente melhorar de alguma forma!
bjos

A. Alves disse...

Nem sei se vc lerá meu comentário mas te digo que quase 90% das mães sofrem o mesmo que vc com os papais. Querida os homens percebem o mundo de uma maneira diferente da nossa, é o extinto. Ele traz o alimento como vc diz, fazê-lo participar mais da infância do filho é algo quase que sobrenatural, na verdade,c reio que ele nem saiba que está ausente das brincadeiras do filho. Ah eu não achoq ue seu filho deixará de se interessar por coisas de "menino" só por causa da ausencia do pai. O referencial masculino vem e outras formas tb. DO avô, do amiguinho, dos brinquedos etc.

Bjs, fica na paz de Cristo irmãzinha!!!

Carol disse...

Ai guria, eu e meu marido somos publicitários e ainda trabalhamos juntos na mesma agência. Cortamos um dobrado pra sairmos no horário e revezamos quando um precisa sair mais tarde. Esse ramo é ferroooo, não tem muita regra viu querida.
Mas mesmo assim, a paixão pelo filho fala mais alto. Acho que é uma fase do papai aí, tem que dar uns cutucões nele sempre que puder :D

Beijos!!!

Vanessa Dias disse...

Vixe Dani é complicado. Eu passo um pouco por isso, meu marido n é tão sem tempo p/ o Pedro, mas ele n gasta a energia necessária q eles exigem da gente. Por isso acho q ele deixa a desejar nesse quesito. Uma pena, ja q a referencia dos meninos é sempre o pai.
Bjsssssssss

Janaina disse...

Dani,
Ultimamente esse é o assunto aqui de casa. O Edu é diretor de uma multi e ele trabalha e viaja demais, e ele faz a mesma coisa com o Nick. Ele pega no colo, beija, diz que ele é lindo e fica nisso. Ele diz que nao tem tempo, que chega cansado, e que pais que chegam do trabalho e vao la brincar com o filho é coisa de novela, rs.
O Edu esta bem obeso, operou e ja esta emagrecendo, acho que no caso dele isso conta pq ele nao tem pique.
Ainda bem que tem o meu pai que é a referencia masculina do Nick, eles jogam bola, pescam, "fazem a barba" juntos, etc.
Mas eu tenho cobrado muito viu. Tbm fico chateada.
Bjs

Felicidade da Mamãe disse...

Dani,aqui em casa acontece um pouco disso,pq as vezes o meu marido até q traz referencias masculinas pro nenem,mas outras (quase sempre,chega e só quer saber de dormir)acho q isso é mal dos pais dos tempos modernos rs...Mas nada q um bom jeitinho de mãe não resolva...eu mesma brinco de bola com o meu filho kkkk
bjo e tudo de bom,que Deus a abençoe sempre.

.Mone disse...

Faz como eu Dani, tudo que o garoto quiser manda pedir para o pai, tudo que ele fizer de novo manda mostrar para o pai,e enche a cama com brinquedinhos de montar pede para ele montar um avião, carro, qualquer coisa legal.
Depois de um tempo pode ter certeza que o pai é que vai querer brincar com o garoto.
Nem que seja brincar sentadinho.

Aqui em casa o pai já não larga mais o Pedro, nem quando fica no pc é sempre com o pequeno no colo.
E pai, eles sentem falta destas coisas sabia?!

Panmela disse...

Querida eu vou te confessar uma coisa, tenho dois anos de casada ainda não tenho filho e acredite que essa questão já é uma preocupação minha? nem só de comiga vive uma criança, eu cresci sem ter papai e mamãe para brincar comigo , realmente faz fala!
Tente conversar com seu esposo, diga a ele sobre o post q leu no blog e sua amigae diga a ela sobre os seus medos, quem sabe seu marido se comova mais. No dia de folga do seu marido,invente um passei, uma brincadeira, mesmo que dentro de casa...sem perceber seu marido vai estar interagindo com o filho sem a desculpa de estou cansando não tenho disposição.
Desejo sucesso pra você!
beijos no teu filho lindo!!!

Mamãe Nádia disse...

Oi Dani, achei legal você se abrir assim sobre esse tema tão importante. O meu marido é bem presente na educação das crianças, é um ótimo pai, mais ainda sim deixa um pouco a desejar nessa questão de referência masculina. Pois quando ele dá atenção pras crianças é carinho ( o que já é ótimo) mas eu vivo reclamando dele não jogar muito bola também, não ensina o nosso filho mais velho a andar de bicicleta...enfim, acho que é bom darmos um puxão de orelha neles, pois isso é importante pras crianças...Beijos!

Salão Le Beauté disse...

Dani eu tenho uma menina de 3 anos, não querendo te desanimar, mas meu marido só se tocou a 2 meses atrás q ele precisa estar mais presente na vida dela, participar mais. No começo eu tbem fazia q nem vc "leva a bebe pra brincar", "leva ela no bosque"... só q cansa tanto pra vc q tem q ficar cobrando, como pra ele q te acha uma chata por ficar cobrando.
Desisti e passei a fazer as coisas eu e ela, pq ele sempre estava cansado, pq ele não podia, pq tinha trabalhado d+...
Hoje o laço entre eu e minha filha é muito forte e ele percebe essa diferença e agora esta tentado recuperar o q perdeu... antes tarde do q nunca!
Qto a referência masculina quem fez esse papel foi o vovô, meu pai q convive bastante com ela.
O contato com os avós é muito importante p os pequenos.
Paciência amiga... bjos

Salão Le Beauté disse...

desculpe postar com o nome do meu salão, eu não tenho blog pessoal e queria muito contar a vc minha experiencia. Meu twitter é esse http://twitter.com/ka_yaya só p vc saber quem sou.
Bjos

Rômulo Rampini disse...

Bem pessoal, sou marido da Danielle, estou na berlinda hoje e cheguei para comentar, acho importante que todas tenham a minha percepção do tema, e sinceramente desejo que isso possa edificar a vida de todos os interessados de maneira positiva. Não pretendo aqui expor e nem justificar dizendo que a minha infância foi triste e sofrida, por que perdi meu pai ainda pequeno (e que apesar de ter morrido foi sim minha grande referência masculina) que tive uma mãe sempre ausente (e que apesar de ser mulher sempre foi uma grande referência masculina), dizer ainda que os caminhos que tive que trilhar para chegar ate aqui foram tortuosos e o quanto é difícil e complicado ser TOTALMENTE responsável pelo sustento da família e harmonia do lar e ainda ficar atento as mudanças de tonalidade do cabelo da esposa do ouro médio para louro acinzentado e blá blá blá que todo mundo pode imaginar. Mas posso dizer que o resultado dessa infância fez de mim uma grande REFERENCIA MASCULINA, a não ser que vamos aceitar aqui que referencia masculina é o pai que joga bola com filho quando chega do trabalho, se for essa a referência me declaro culpado, culpado primeiramente por não gostar de futebol, assim como meu filho mais velho gosta de natação, e meu sobrinho gosta de vôlei eu quando mais jovem gostava do Karatê e do Judo, enfim. Ser Referência Masculina, acredito eu, tem a ver com os exemplos, referência tem a ver com como se deve ser como HOMEM, LIDER, PROVEDOR, PAI, CIDADÃO, se todos aqui concordam que estas são as colunas da Referência Masculina podemos prosseguir. O Exemplo que dou e deixarei aos meus filhos como homem, é o de homem de Deus, sensível as mazelas da humanidade, socialmente responsável, de reputação e caráter ilibado, que tem boas referências por onde passou, bom pagador, cumpridor de seus deveres, que aos 13 anos saiu de casa para trabalhar em outro estado, morando com tios, e aprendendo a trabalhar cedo, que serviu a pátria aos 18 anos nas forças armadas ondem muitos correram e correm, eu permaneci por 3 anos, moramos de aluguel a 3 anos e nossa locatária sequer exige contrato de aluguel e nem os reajustes faz para não correr o risco de me perder com inquilino, sou pai desde os 18 anos a mãe do meu filho mais velho nunca em 12 anos teve que me cobrar minhas obrigações de pai e financeiras, hoje mesmo participei da reunião de pais e mestres da escolha do meu filho mais velho, pois sou eu quem promovo e cuido de sua educação, nunca fui acionado na justiça porque quaisquer coisa, nunca levei uma multa de trânsito sequer, nunca minha esposa encontrou ou foi confrontada com algo que desabonasse minha conduta como marido, como provedor, como homem, sou marido fiel e com os olhos voltado para meu lar exclusivamente, não bebo, não fumo, não me envolvo com grupos ou atividades escusas, não deixo meu lar por nenhuma atividade que não os inclua a todos, já fui convidado pelo presidente, vice-presidente e demais dirigentes da minha igreja para liderar JOVEN CASAIS ministrar e aconselhar novos casados para que desfrutem de um vida conjugal harmoniosa honrada e feliz como a minha. Mamãe Feliz disse que eu não gostaria da comparação com o marido dela, não me chateio se a comparação for abrangente e utilizar todas as referencias aqui apresentadas, e não só a brincadeira do fim de tarde, que diga-se de passagem não me recuso e não deixo de exercer pois sei o quanto é importante, só não exerço talvez de maneira a suprir as EXPECTATIVAS nos MOLDES e PADRÕES da blogueira ESPECIALIZADA NO ASSUNTO que pode graças ao trabalho do papai, ficar o dia inteiro em casa com o bebê, (com a ajuda da mãe e das vizinhas). continua...

Rômulo Rampini disse...

Dani Brito definitivamente eu brinco com meu filho quando chego em casa, temos várias coisinhas só nossa, temos o dentada que é um mostro que faço com as mãos que quer morder ele e que faz com que ele corra pela casa, temos a máquina de beijo que uma especialidade do papai, que pode dar até mil beijos por segundo no bebê e que ele adora, assistimos TODAS as noites o CD da Galinha Pintadinha eu sei todas as letras e tenho coreografias especiais que faço pra ele na musica do pintinho amarelinho e dos indiozinhos e da mariana, agora é claro que num calor de 40 Graus aqui de Cuiabá depois do dia todo de trabalho nessa selva eu tenha predileção por fazer tudo isso dentro do quarto com ar condicionado ligado ( e eu não sabia que com ar condicionado perdia pontos como pai). Dany morais percebi seu rápido entendimento que post não foi o meio mais acertado de se calibrar entre o papai e a mamãe expectativas e possiblidades. O mundo da Dani pode ficar sossegada que se meu filho pegar o pote do creme da mãe dele vai ser para jogar nos pinos do boliche como bola, e eu participo da vida do meu filho intensamente desde a sua concepção, eu já brincava com ele na barriga ele reconhece até hoje a seguinte frase que sempre falava pra ele na barriga bebezinho você está ai? a primeira palavra que ele falou foi PAPAI diga-se de passagem. eliane maia pereira ore por mim e pela minha esposa também sua oração vai ser bem vinda e importante nesse momento. Milka estou animado, só não tenho a energia do Serginho Malandro, mas orar com certeza traz grandes resultados para sua família e este sem duvida e CAMINHO CERTO para solucionar tudo em sua vida juntos, e nos temos sim alguns joguinhos e brinquedos que gostamos especialmente de brincar, estamos fazendo uma coleção de hotwells e até o maninho mais velho já fez a doação dos dele. A Alves na verdade 90% das mães, na minha opinião, tem expectativas maiores que as possiblidades, enérgica e aptidão dos papais e eu te garanto que meu filho jamais vai deixar de se interessar por coisas de meninos, acho que esse não foi mote do post. Carol não é fácil mesmo e tudo e para ontem, e agência é minha e tenho uma sócia, ou seja, compromisso dobrado.

Rômulo Rampini disse...

Vanessa Dias vamos concordar aqui para o bem da sua e da minha casa que o importante sempre será a QUALIDADE e não a quantidade ou pirotecnia, as vezes um olhar, um gesto, um sorriso já basta para abastecer seu filho de referência que ele precisa. Janaina Isso é covardia, seu marido e diretor de uma multinacional, quando trabalhei em multinacional os diretores sequer tinham o luxo de ter família, era uma desgraça a vida conjugal dos que se atreviam a ter mulher, seu marido é um herói, saiba apreciar todo esforço que ele fez pra chegar onde esta e tudo que ele faz para que vocês desfrutem da vida que tem, pergunte sobre as humilhações e os sapos que ele tem que engolir por vocês no trabalho e todas as coisas que ele abre mão por vocês, na novela e tudo maravilhoso mesmo eu já falei isso com a Danielle, ela espera que eu seja a viúva da novela, sabe aquela que chora e desmaia em cima do caixão, fala que quer morrer também, pra minha esposa isso é prova de amor e somente com fogos de artificio se prova que ama e que se importa. Mone Show! a mulher sábia edifica seu lar Provérbios 14:1. . Panmela eu nunca digo que estou cansado e não quero brincar com meu filho, digo e repito, eu só não vou lá no asfalto debaixo de um sol quente de Cuiabá 40 graus para isso, ele é um bebe ainda, podemos fazer tudo dentro nossa casa e de nosso quarto com o ar ligando garanto isso, e tem outra coisa, minha esposa que eu interaja com as vizinhas amigas dela também com elas a vida alheia rsss sem chance. Mamãe Nádia misericórdia! Um homem para ser homem não precisa jogar futebol, nem todo brasileiro nasceu para ser o Ronaldinho, que coisa chata tudo se baseia em futebol aqui, olha só eu torço para o fluminense e tenho 33 anos e a 35 o fluminense não ganha um titulo nacional, sabe o que é isso? Salão la Beauté os vovôs sempre saem ganhando nessas horas, estão mais tranquilos, com a vida mais sossegada, já contribuiu e já fez a parte dele, não da para comparar também.
Bom pessoal, espero de alguma forma ter contribuído, mas quero deixar claro que vou refletir mais sobre o assunto e tentar chegar ais perto das expectativas da esposa, para finalizar deixo o seguinte versículo escrito pelo homem mais sábio que já existiu
Toda mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola derruba com as suas próprias mãos. PROVERBIOS 14:1

Related Posts with Thumbnails

Meu Orkut

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

Receba atualizações no seu e-mail!

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO  

BlogBlogs.Com.Br